domingo, 19 de fevereiro de 2017

My first Trip with my master / Minha primeira viagem com meu mestre



 Ler em Português      Read in English

Reunião na casa de Mestre Júlio Camacho
Enquanto nos reuníamos na casa de nosso mestre, Mestre Sênior Júlio Camacho, surgiu uma ideia: de que os diretores da recém-formada Gestão Integrada sempre deveriam participar dos eventos principais da Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence. De início, iríamos ao ano novo chinês junto aos membros do Grande Clã Moy Yat Sang, dali a uma semana. A ideia foi de pronto bem recebida.

Já ouviu falar em "tradutore, traditore"? No caso do Kung Fu há tantas traduções possíveis para o termo que podemos escolher um significado de acordo com cada contexto de uso. Como bússola, sigo o atual entendimento de meu mestre sobre esse termo, de que o Kung Fu tem três pilares: proposição, adesão e apoio.


Organizadores da viagem


O próximo passo era nos prepararmos para a viagem. Se já havia uma proposição e todos aderiram, agora era a vez do apoio. Havia apenas um problema, não havia recursos para uma viagem de quatro pessoas. 

Sempre me senti incomodado com as viagens no ambiente do kung fu. Vejo meu mestre viajando para São Paulo, Nova York e Hong Kong, nunca como turista, sempre pelo kung fu. Mas nunca me imaginei fazendo o mesmo. Curiosamente, o tempo de viagem da minha casa até o Núcleo Barra é de duas horas, o dobro do tempo até São Paulo. 



Após o Jantar de ano novo. A partir da esq: Eu, MS Júlio Camacho, Thiago Pereira e Clayton Meireles

Fomos e voltamos. Eu fui o responsável financeiro da viagem. Estudamos quem podia pagar o quê e quais coisas deveriam ser pagas com cartão e em dinheiro. Onde podíamos, onde não podíamos e onde devíamos gastar. 

No fim das contas, a quantidade de experiências transformadoras em um final de semana foi enorme e certamente a organização financeira foi a menor delas. Essa viagem mudou o rumo do Núcleo Barra. E me dei conta agora: a viagem correu bem por conta das ações baseadas em proposição, adesão e apoio, mas o que mudou do André que não se imaginava viajando para o André que se empolgou com a ideia foi a capacidade de relaxar antes de lidar com qualquer problema. E isso eu só desenvolvi após anos convivendo com meu mestre.